quarta-feira, 31 de março de 2010

Entrevista exclusiva com o Coelho da Páscoa


Repórter. Bom, em primeiro lugar eu quero agradecer ao Coelho da Páscoa por ter me resgatado daqueles mercadores de escravos que me compraram dos duendes que ajudam o Papai Noel.

Coelho da Páscoa. Tá.. Que seja…

R. Eu queria aproveitar a ocasião para entrevistar você, pode ser?

CP. Fazer o que né… Pode começar então…

R. OK.. A celebração da páscoa tem suas raízes em períodos bem antigos, sendo observada na tradição judaico-cristã, sempre associada a um rito de passagem. Como o Sr. entrou nessa história toda?

CP. Bom.. Pra falar a verdade eu herdei um negócio de família e foi assim que eu comecei esse bico de coelhinho de páscoa. Mas o meu avô sempre contava que nossa família entrou nessa por causa dos alemães.

R. Não entendi.. Sua família começou a distribuir ovos de páscoa na segunda guerra mundial?

CP. Não criatura… Os alemães foram os responsáveis por difundir essa estória de coelho da páscoa, principalmente nas américas. Essa foi a oportunidade da minha família começar a trabalhar nesse ramo e garantir um dinheiro extra…

R. Legal! E quem foi o primeiro coelho da páscoa? Quem deu o primeiro pulo nos ovos?

CP. Ih…Ó o cara! Na minha família não tem esse negócio não! O primeiro coelho da páscoa foi o meu tio Hilbert e o lance foi meio por acaso: uma mulher que tava na pindaída e não tinha um migué pra comprar presente pros filhos resolveu pintar uns ovos de galinha e esconder pros moleques acharem. Quando as crianças encontraram os ovos, o tio Hilbert passou e a mulher gritou que tinha sido ele. No começo ele correu pensando que tavam acusando ele de ter roubado alguma coisa, mas depois que ele descobriu o que tava rolando, ele relaxou e aproveitou…

R. Legal! E atualmente vocês tem esse trabalho todo no ramo do chocolate. Como foi essa transição?

CP. É simples… Pra manter os negócios eu preciso vender… E que criança vai querer ovos de galinha hoje em dia? Criança quer doce! E chocolate vende que nem água! Então, se eles querem chocolate e eu posso lucrar com isso, então eles terão muito chocolate…

R. Mas você não se preocupa com o consumo excessivo de chocolate? Com a possibilidade das crianças, principalmente, apresentarem problemas depois de comerem demais?

CP: Eu só vendo, meu amigo! Quem tem que se preocupar com isso é quem compra.. Cadê os pais nesta hora? por que a culpa sempre cai em cima do pobre comerciante? (Nessa hora o coelho se mostra bastante exaltado)

R. Calma Sr. Coelho… Não foi minha intenção ofender o Sr….

CP. Deixa pra lá… As pessoas sempre acusam o animal fofinho…

R. Se te animar, eu posso cantar um pouquinho.. “Coelhinho se eu fosse como tu ...”

Nesse momento o coelho se levanta olhando sério para o reporter e diz:

CP. Se continuar a música, essa entrevista vai ser a sua última!

R. Foi mal… Foi mal.. Só tava tentando ajudar!

CP. Se quer ajudar mesmo pega esse avental e ajuda os meus filhos a embalarem os ovos que estão chegando. Afinal, foi pra isso que eu te comprei!

R. Como assim comprou?

CP. Você acha que os comerciantes de escravos te liberaram com a promessa de receber uma cesta de chocolates? O que move o mundo é dinheiro filho! E se você não der o retorno da grana que eu gastei com você, pode estar certo que a barra vai pesar…

R. Pra um símbolo associado a uma data onde as pessoas celebram o renascimento de Cristo, você tá bem materialista…

CP. E pra um escravo que vai levar umas bordoadas, você tá falando muito… Aliás, vamos aplicar um corretivo nesse subversivozinho…

Nesse momento o repórter começou a correr, sendo seguido de perto por um bando de coelhos prontos para dar uma sova nele.

Fonte: Surto Coletivo

3 comentários:

Wz ™ disse...

hauahau Ri mto aqui. Bela entrevista exclusiva :P
Parabéns pelo blog e que Deus continue te capacitando ^^

Marcia Moreira disse...

Wz, obrigada pelo comentário de incentivo. Que Deus te abençõe também.

Bill & Ane disse...

Legal a entrevista KKKKKKKKKKKKKKKK

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...